Suspeita de coronavírus é investigada em BH, mas ministério descarta hipótese

Mulher desembarcou no sábado (18), de volta da China, com sintomas respiratórios

Uma paciente brasileira de 35 anos pode ser o primeiro caso suspeito de coronavírus registrado no Brasil. Ela foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Região Centro-Sul de Belo Horizonte (MG), no sábado (18), com sintomas de doença respiratória após desembarcar de viagem a Xangai, na China. A suspeita é investigada pelas autoridades do governo de Minas Gerais, mas o Ministério da Saúde afirmou que o caso não se enquadra na definição de suspeita de coronavírus.


O caso é tratado como suspeito e não como uma confirmação. A paciente foi levada ao Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, e as medidas assistenciais para redução de risco foram tomadas. Segundo a secretaria, a paciente está clinicamente estável.

A paciente relatou à equipe de Vigilância em Saúde da secretaria que não esteve na região de Wuhan, na China, onde foram registrados casos de transmissão ativa da doença. O caso segue sendo investigado e os exames para confirmar ou descartar a possibilidade de se tratar do coronavírus estão em andamento.

Apesar da investigação feita pela secretaria em Minas Gerais, o ministério da Saúde disse, em nota, que o caso “não se enquadra na definição de caso suspeito”. Ao fazer essa afirmação, a pasta considera o fato da paciente não ter estado em Wuhan.

“De acordo com a definição atual da Organização Mundial de Saúde (OMS), só há transmissão ativa do vírus na província de Wuhan”. O ministério também esclareceu que está monitorando a situação e outras medidas cabíveis serão tomadas assim que a OMS definir a situação de emergência.

Os sinais e sintomas clínicos do coronavírus, também chamado de pneumonia indeterminada, são, principalmente, febre, dor, dificuldade em respirar em alguns pacientes e infiltrado pulmonar bilateral. (Com informações da Agência Brasil)


Comentários (0)


Deixe um comentário