Pandemia não pode ser usada para atacar as liberdades, afirma Bolsonaro no G20

Presidente defende a livre escolha do cidadão em receber a dose dos imunizantes contra a Covid-19

Em discurso para a reunião de cúpula dos países do G20, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a autonomia e direitos do cidadão e a soberania nacional no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Ministro Ernesto Araújo. Foto: Alan Santos/PR

“A pandemia não pode servir de justificativa para ataques às liberdades individuais”, declarou o presidente sobre a obrigatoriedade da vacinação.

O presidente se referia ao direito de escolha dos cidadãos, que, na sua concepção, não podem ser obrigado a tomar vacina contra a covid-19.

O discurso foi endossado pelo ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, cujas concepções fora adotadas na fala presidencial.

O chanceler usou sua conta no Twitter para expressar concordância e sintonia entre as políticas nacionais e a atuação do país frente às pautas internacionais.

Brasil levanta a bandeira da liberdade, ao lado da unidade nacional, do crescimento econômico e do combate à Covid, no principal fórum de Chefes de Estado. -Ernesto Araújo (@ernestofaraujo)


Comentários (0)


Deixe um comentário