Homenagem ocorreu em virtude dos relevantes serviços prestados.

Homenagem ocorreu em virtude dos relevantes serviços prestados.
Foram homenageados com medalhas do Mérito Legislativo os policiais militares

Policiais da Delegacia Especializada em Repressão a Furtos e Roubos (DERF), deflagraram na manhã desta terça-feira (21), uma megaoperação em combate aos crimes de roubo qualificado, associação criminosa armada e extorsão qualificada, ocorridos nos últimos meses em Porto Velho.

A operação Firewall, coordenada pelo delegado Talles Beiruth, resultou na prisão de seis integrantes da quadrilha e apreensão de diversos objetos roubados. Os mandados foram cumpridos na capital, em Nova Mamoré e Guajará-Mirim.

O inquérito policial iniciou com o roubo à residência, ocorrido na avenida Costa e Silva, no dia 20 de janeiro deste ano. Os assaltantes obrigaram a vítima, um empresário que chegava da igreja, a transferir R$ 60 mil para uma conta informada por eles.

O alto valor da transação fez com que o sistema de controle de movimentações bancárias bloqueasse a conta corrente que recebeu a transferência. No dia seguinte, quatro criminosos foram ao banco para desbloquear a conta e sacar o valor, porém foram surpreendidos por agentes da Delegacia de Furtos e Roubos e acabaram presos em flagrante.

Os policiais, durante as investigações, conseguiram identificar e qualificar os demais integrantes da quadrilha. De acordo com a Polícia, tudo indica que o bando cometeu mais três roubos à residência na mesma noite.

Com o avanço das investigações, o delegado representou pelos mandados prisão e busca e apreensão contra os alvos, que foram autorizados pela justiça.

Firewall, nome dado à operação, significa portas antichamas em inglês. Ele é uma proteção que ajuda a bloquear o acesso de conteúdo malicioso. A denominação faz referência ao modo como a quadrilha agia que além de subtraírem objetos, obrigavam a vítima a fornecer acesso à conta do banco via aplicativo e transferia altos valores via Pix. Com a operação de hoje, a Polícia Civil bloqueia a ação desta quadrilha, tirando-os do convívio social, impedindo assim novos roubos.

por Natália Leite Lima