CRIME- Dupla envolvida na morte de policial penal é condenada por júri popular em Vilhena

CRIME-  Dupla envolvida na morte de policial penal é condenada por júri popular em Vilhena
De acordo com os autos, W. é o dono da arma usada no crime.

Assassinato foi cometido por adolescente

Os acusados de envolvimento no assassinato, em 2020, do policial penal A. B. M., 36, foram condenados nesta terça-feira, 21, por um júri popular, em Vilhena.
 
O crime aconteceu no dia 09 de agosto de 2020, em uma conveniência no pátio do Posto Cavalo Branco, na avenida Major Amarante, uma das principais e mais movimentadas de Vilhena. A. B. bebia com amigos quando o atirador, que era menor de idade, chegou e atirou contra ele, que ainda tentou reagir, mesmo ferido, mas não atingiu o agressor. O policial penal morreu no local.
   
De acordo com os autos, W. é o dono da arma usada no crime. Ele a emprestou a J. que a repassou ao adolescente, autor dos tiros que mataram A. B.. O adolescente também foi detido algum tempo depois do crime.
 
J. foi denunciado por homicídio duplamente qualificado por recurso que impossibilitou a defesa de B., e por crime praticado em razão da função exercida pela vítima. E W. por homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Eles também foram denunciados pelo crime de corrupção de menores.
 
A defesa de J. sustentou a tese de negativa de autoria, alegando não haver provas suficientes para a sua condenação. E, como tese secundária, buscou a exclusão das qualificadoras.
 
Já a defesa de W. afirmou que ele não tinha conhecimento de que a arma de fogo que emprestou a J. seria usada em homicídio.
 
Já era próximo das 16 horas quando a juíza presidente do Tribunal do Júri, Liliane Pegoraro Bilharva, leu a sentença que condenou os réus.
 
Os jurados condenaram o réu J. conforme pedia o Ministério Público, por homicídio duplamente qualificado e por corrupção de menores. Já em relação ao réu W., os jurados o absolveram da acusação do crime de corrupção de menores, e afastaram a qualificadora, o condenando por homicídio simples.
 
Na dosagem das penas, a juíza aumentou em 1/10 as penas de ambos pelo fato de, tanto J. quanto W., serem reincidentes.
 
Assim, W. recebeu pena de 8 anos, 9 meses e 18 dias de reclusão. Já para J., a pena imposta foi de 18 anos, 8 meses e 12 dias de reclusão para o crime de homicídio, e de 1 ano, 1 mês e 6 dias para o crime de corrupção de menores. A magistrada aplicou a regra do cúmulo material e somou as penas dos crimes de homicídio e de corrupção de menores, e assim, J. terá que cumprir pena de 19 anos, 9 meses e 18 dias de reclusão.

Por Redação

Publicado  Há 21 min

Foto: PM/RO

Fonte: folhadosulonline